Homens armados seqüestram diplomata iraniano em Bagdá

Homens armados seqüestraram um diplomata iraniano em Bagdá, no domingo, e o Irã condenou o ato e responsabilizou os Estados Unidos pela vida e segurança do seqüestrado, nesta terça-feira, segundo autoridades iraquianas.O porta-voz do Ministério do Exterior iraniano, Mohammad Ali Hosseini, disse que homens armados vestiam uniformes do Exército iraquiano e seqüestraram Jalal Sharafi, o segundo secretário na embaixada iraniana, enquanto ele dirigia para Bagdá no domingo. Esta unidade é o 36o Batalhão de Comando, que lida com operações especiais e muitas vezes trabalha junto com as forças militares no Iraque, segundo a autoridade. O porta-voz militar americano em Bagdá, Coronel Christopher Garver, disse que as tropas dos Estados Unidos e do Iraque não estão envolvidos com este incidente."Nós checamos nossas unidades e nenhuma delas participou deste seqüestro", disse Garver.No entanto, ele não confirmou se Jalal Sharafi foi realmente detido.Forças norte-americanas no Iraque prenderam vários iranianos, incluindo alguns diplomatas, durante o último mês. Washington acusa Teerã de fornecer apoio a militantes que lutam contra forças dos EUA no Iraque. Teerã nega.Resposta do IrãO Irã condenou nesta terça-feira o seqüestro do diplomata Jalal Sharafi em Bagdá e disse que os Estados Unidos são responsáveis por sua vida.O porta-voz do Ministério do Exterior iraniano, Mohammad Ali Hosseini, disse que os "seqüestradores operavam com a supervisão das Forças americanas no Iraque", segundo uma agência de notícia local informou."O Irã condena fortemente este ato agressivo, que é uma violação de uma lei internacional", disse Hosseini. "O Irã responsabiliza os Estados Unidos pela segurança e vida do diplomata".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.