AFP PHOTO / SWEDISH POLICE
AFP PHOTO / SWEDISH POLICE

Homens roubam joias da família real da Suécia e escapam de barco

Apesar de equipamentos de segurança, dupla levou duas coroas e um orbe - joia que representa um globo terrestre com uma cruz - pertencentes ao ornamento funerário de Charles IX da catedral de Strängnäs, a 100 quilômetros de Estocolmo

O Estado de S.Paulo

01 Agosto 2018 | 10h40

ESTOCOLMO - Dois homens roubaram várias joias pertencentes à família real da Suécia em uma catedral e fugiram com as peças em um barco, informaram nesta quarta-feira, 1º, as autoridades do país. Se forem detidos, os ladrões podem ser condenados a até seis anos de prisão.

Os ladrões entraram na terça-feira na catedral de Strängnäs, a 100 quilômetros de Estocolmo, e levaram algumas relíquias do século 17. "A polícia procurou os culpados durante toda a noite, sem sucesso", afirmou uma fonte policial.

Os ladrões levaram duas coroas e um orbe (uma joia que representa um globo terrestre com uma cruz) pertencentes ao ornamento funerário de Charles IX, rei da Suécia e Finlândia de 1604 a 1611, e de sua esposa, a rainha Christina, informaram os diretores da catedral em um comunicado

Os objetos estavam, segundo as normas de segurança, em uma vitrine equipada com alarme, de acordo com a nota oficial. As joias têm um valor inestimável, segundo a polícia.

"Não sabemos o valor dos objetos roubados, mas integram um tesouro nacional", afirmou Stefan Dangardt, porta-voz da polícia sueca.

A polícia sueca registrou o roubo das duas coroas no sistema da Interpol para dificultar sua venda.

"Estão mostrando imagens (das coroas) nos veículos de imprensa. É simplesmente impossível vender este tipo de objetos. Só podemos especular sobre suas intenções sobre estas coroas", disse Maria Ellior, do departamento de Operações Nacionais da Polícia da Suécia em entrevista à agência de notícias "TT".

Maria, que apontou que o roubo parecia bem planejado, destacou que a comunicação à Interpol implica que "inclusive a polícia internacional procurará os responsáveis".

Uma testemunha, Tom Rowell, declarou ao jornal Aftonbladet que viu quando os dois homens saíram correndo da catedral e subiram em um pequeno barco branco atracado no lago Malar, vizinho ao templo religioso.

Na catedral de Strängnäs foram sepultados Charles IX e suas duas esposas, a princesa Maria e a rainha Christina.

Em 2013, outro roubo de caraterísticas semelhantes também ocorreu na Suécia, quando foram levadas de Vasteras, uma coroa e um centro do traje fúnebre do rei João III.

Os dois objetos foram encontrados dias depois em sacos de lixo à beira de uma estrada após uma denúncia feita para a polícia. / AFP e EFE

Mais conteúdo sobre:
Suécia [Europa] roubo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.