Homicídio em Gênova deve ser investigado

A promotoria pública da Itália abriu ação por homicídio contra um policial de 20 anos que teria sido o autor dos disparos que mataram o manifestante italiano Carlo Giuliani, de 23 anos. O policial está hospitalizado em estado de choque. Cineastas italianos que filmam os protestos puseram seu material à disposição da coordenação dos cerca de 800 grupos antiglobalização. Eles disseram ter registrado violência gratuita da polícia e a morte de Giuliani. Hoje, o jornal Nezavisimaia Gazeta, de Moscou, comparou os manifestantes anti-globalização a Zapatistas. "São filhos do subcomandante Marcos", disse o jornal em sua manchete da edição de hoje. O jornal ainda ensaiou uma preocupação de que o "fenômeno zapatista" chegue à Rússia com efeitos devastadores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.