Honduras e Jamaica debatem prisão de 32 pescadores

Honduras enviou hoje uma missão para a Jamaica com o objetivo de levar de volta 32 pessoas acusadas de pesca ilegal. A missão hondurenha é integrada pelo cônsul em Houston, David Hernández, e por Jorge Milla, do consulado em Washington, que permanecerão por três dias em Kingston.

AE, Agência Estado

26 de janeiro de 2011 | 17h18

A chancelaria disse, em comunicado, que "a comissão oficial tem o objetivo de garantir os direitos humanos de nossos compatriotas" e resolver os problemas legais que possam estar enfrentando. Entre os dias 7 e 13 de janeiro patrulhas jamaicanas confiscaram as embarcações "MissCassandra" e "Sensación", de bandeira hondurenha, e deteve seus ocupantes por pesca ilegal em suas águas territoriais.

No primeiro incidente, Honduras afirmou que os jamaicanos atacaram uma embarcação a tiros, mataram seu capitão e detiveram parte dos tripulantes. Na ocasião, Honduras protestou com o governo da Jamaica pelo uso excessivo da força, acusação negada pelas autoridades jamaicanas. Após a queda, em junho de 2009, do presidente hondurenho Manuel Zelaya, a Jamaica não reconheceu o governo de Porfírio Lobo, eleito após as eleições gerais de novembro daquele ano. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
HonduraspescadorprisãoJamaica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.