Honduras não permitirá entrada da OEA, diz Arias

O presidente da Costa Rica, Oscar Arias, mediador da crise em Honduras, disse hoje que o governo de facto não vai permitir a entrada de uma comissão de chanceleres enviada pela Organização dos Estados Americanos (OEA) para mediar o conflito.

AE-AP, Agencia Estado

25 de setembro de 2009 | 13h59

"Acabo de falar com John Biehl (assessor chileno da OEA), que está em Miami, depois de voltar de Washington ontem à noite para seguir para Honduras hoje. Ele me disse que o chanceler (hondurenho) o chamou para dizer que a comissão não embarcasse porque não teria permissão para entrar no país. De qualquer maneira, me falou que possivelmente não vão querer deixar entrar os chanceleres", disse Arias, em entrevista ao programa de rádio Nuestra Voz.

Ele não deu mais detalhes sobre a decisão, aparentemente tomada pelo governo encabeçado por Roberto Micheletti, mas reiterou que "esta é a última informação que tenho". Biehl tem trabalhado com Arias desde que o presidente da Costa Rica começou a atuar como mediador do conflito.

Com essa situação, Arias afirmou que ele mesmo não viajará para Honduras para retomar o diálogo, pois considera que o trabalho prévio deve ser feito pelos chanceleres. Ressaltou também que, por enquanto, a posição de Micheletti não mudou no que diz respeito à principal questão: o retorno ao poder do presidente deposto, Manuel Zelaya, antes das eleições de 29 de novembro.

Tudo o que sabemos sobre:
HondurascriseOEA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.