Hong Kong anuncia 2ª vítima do leite contaminado

Uma segunda criança de Hong Kong foi diagnosticada com pedra nos rins depois de ingerir o leite contaminado da China, disseram autoridades da ilha, em meio ao agravamento do escândalo de segurança alimentar. Num comunicado divulgado na noite desta segunda-feira, o Centro para Proteção à Saúde de Hong Kong informou que um menino de quatro anos está recebendo tratamento num hospital depois de ter bebido produtos derivados do leite com a substância química melamina. O garoto nasceu no sul de Hong Kong mas mora na China, e seu quadro de saúde é estável, de acordo com o comunicado. O hospital também atendeu 63 pessoas de menos de 17 anos que disseram ter consumido produtos com o leite adulterado, mas nenhum dos casos exigiu hospitalização, afirmou o Centro. Outras 80 pessoas se queixaram de sintomas de cálculo renal depois de beber o leite contaminado. "Elas foram aconselhadas a buscar atendimento médico o mais breve possível para se certificar de que não estão sofrendo de doença renal", afirmou um porta-voz do governo. A melamina, geralmente usada na fabricação de plástico, foi encontrada em alimentos à base de leite, deixando quase 53 mil crianças doentes na China, segundo as autoridades locais. A substância faz o leite parecer cheio de proteínas, mas pode ser fatal se consumida em grandes quantidades. Quatro crianças morreram na China após a ingestão do leite contaminado e no último final de semana o incidente ultrapassou as fronteiras da China continental, com a divulgação do primeiro caso de criança com sintomas de contaminação em Hong Kong. A notícia de que uma menina de três anos havia apresentando sintomas de cálculo renal levou famílias preocupadas a uma corrida para os hospitais da cidade. Vários países proibiram ou limitaram a importação de laticínios da China desde que o escândalo veio à luz, há duas semanas. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.