Ye Aung Thu / AFP
Ye Aung Thu / AFP

Hong Kong cancela festa de virada do ano por medo de protestos

Esta é a primeira vez que a celebração pela virada do ano não será realizada na cidade

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de dezembro de 2019 | 11h10

HONG KONG - O governo de Hong Kong anunciou nesta quarta-feira, 18, o cancelamento do espetáculo de queima de fogos de artifício no réveillon, diante do medo de novos protestos nas ruas, que vêm ocorrendo nos últimos seis meses.

O Escritório de Turismo do território semiautônomo foi responsável por divulgar a informação, admitindo que a orientação é da polícia. Esta é a primeira vez que a celebração pela virada do ano não será realizada em Hong Kong.

De acordo com os policiais, há uma "ameaça de segurança", em razão das possíveis manifestações.

Para Entender

2019, o ano de todos os protestos

Gatilho para mobilizações pode ser relativamente abstrato, como a lei das extradições em Hong Kong, ou mais pragmático, como o aumento do preço do metrô em Santiago e a reforma da previdência na França

"Temos que esperar que a ordem seja completamente restaurada, antes de colocar em prática estratégias para recuperar o turismo", admitiu o diretor-executivo da Junta de Turismo local, Dane Cheng Ting, sobre um dos eventos mais procurados de Hong Kong, em que fogos de artifícios são disparados do alto de arranha-céus.

Os meses de protestos colocaram a economia do território em recessão pela primeira vez na década, com contração de 2,9% no terceiro trimestre. Houve queda nas importações e exportações, nas vendas e nas receitas do setor de turismo.

O número de visitantes recebido por Hong Kong, de governo pró-Pequim, caiu 56% este ano, segundo números divulgados em novembro. / EFE

Notícias relacionadas
    Tudo o que sabemos sobre:
    Hong Kongprotestoréveillon

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.