Kin Cheung/AP Photo
Kin Cheung/AP Photo

Hong Kong completa seis meses de protestos com manifestação

Pessoas tomaram novamente as ruas em luta pela democracia local

Redação, O Estado de S.Paulo

08 de dezembro de 2019 | 05h36

HONG KONG - As ruas de Hong Kong foram mais uma vez ocupadas por manifestantes, neste domingo, 8, em um protesto que testa o apelo duradouro de um movimento antigoverno que marca seis meses de manifestações. 

"Esperamos que isso seja uma assinatura do nosso movimento, após seis meses, para mostrar à (líder de Hong Kong) Carrie Lam, bem como ao mundo que as pessoas não estão desistindo, elas ainda lutarão por nossa liberdade e democracia", disse Eric Lai, um dos organizadores. 

A polícia concedeu liberação para a marcha, o que pode ter aumentado a participação popular. Poucas horas antes do início do meio da tarde, a polícia anunciou que havia encontrado uma pistola com mais de 100 balas que, segundo eles, seria usada durante o protesto.

Onze pessoas foram presas e punhais, espadas, cassetetes e spray de pimenta também foram encontrados em ataques em três locais, informou a emissora pública RTHK. 

A manifestação foi convocada pela Frente Civil dos Direitos Humanos, grupo que organizou algumas das maiores manifestações desde que centenas de milhares de manifestantes marcharam pela primeira vez em 9 de junho contra propostas do governo, agora retiradas, que permitiriam que suspeitos de crimes fossem enviados para julgamento em Tribunais controlados pelo Partido Comunista na China continental./ AP

Tudo o que sabemos sobre:
Hong Kongprotesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.