Hong Kong lembra massacre da Praça da Paz Celestial

Hong Kong lembra neste domingo o massacre de estudantes na Praça da Paz Celestial, há 17 anos, com a tradicional noite com velas. Enquanto isso, a China mantém a censura sobre este assunto."Trata-se de liberdade, corrupção e democracia. A China ainda é corrupta, e não houve mudanças democráticas, embora exista algum grau de liberdade", declarou Lee Cheuk-yan, legislador unionista, ao jornal South China Morning Post. A ex-colônia britânica é o único lugar da China onde se lembra o massacre no qual 400 estudantes pró-democráticos foram assassinados em 1989 pelo Exército de Libertação Popular, ligado ao Partido Comunista chinês. No restante do país, o assunto é censurado ou tratado com reservas. Somente ativistas, a imprensa estrangeira e o próprio governo - com sua censura na imprensa - lembram o aniversário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.