Hong Kong prepara manifestação por democracia completa

Passeata acontece no dia 1º de julho, data da celebração do 11º aniversário da devolução da ex-colônia

Efe,

23 de junho de 2008 | 04h10

Os organizadores da manifestação a favor de uma democracia completa para Hong Kong, que coincidirá com a celebração do 11º aniversário da devolução da ex-colônia britânica à China, pediram aos habitantes que saiam em massa às ruas. Segundo os organizadores, cerca de 50.000 manifestantes poderiam seguir a passeata pró democrática do dia 1º de julho, informa o jornal South China Morning Post. A manifestação deste ano voltará a pedir o voto universal para a eleição do chefe executivo da cidade (máximo cargo político de Hong Kong) e para a totalidade do Conselho Legislativo, Parlamento local, que só conta com a metade de suas cadeiras escolhidos de forma democrática, sendo o resto por Pequim. Em 2003, cerca de meio milhão de hongkoneses saíram às ruas para protestar contra o Governo local, um número que não voltou a se repetir devido, principalmente, ao forte crescimento econômico desfrutado por Hong Kong desde então. O território deixou de ser colônia britânica em 1º de julho de 1997, data na qual retornou à soberania chinesa sob o princípio de "um país, dois sistemas", o que permite aos hongkoneses se administrarem com grande autonomia em todas as áreas, exceto em defesa e Relações Exteriores.

Tudo o que sabemos sobre:
Hong KongChina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.