Hong Kong tem marcha em memória do massacre de 89

Cerca de mil manifestantes pró-democracia marcharam, neste domingo, em Hong Kong para pedir justiça pelas vítimas do massacre de 1989, da Praça Tian''anmen (da Paz Celestial), em Pequim. A marcha ocorre antes da vigília anual, em Hong Kong, no próximo sábado, para marcar o 22º aniversário do 4 de junho, data em que os manifestantes pró-democracia foram reprimidos.

NALU FERNANDES, Agência Estado

29 de maio de 2011 | 13h01

Os manifestantes, vestidos em branco e preto, carregaram cartazes e eram observados pela política. Levando consigo uma estátua branca "Deusa da Democracia" de três metros e um caixão preto, os manifestantes cantavam slogans como "justiça para 4 de junho" e "devolva o poder para o povo".

"A verdade de 4 de junho deveria ser respeitada. O movimento de 4 de junho deveria ser vingado", disse Albert Ho, secretário-geral da Aliança de Suporte dos Movimentos Patrióticos Democráticos da China, que liderou a marcha. "Os responsáveis deveriam ser levados à Justiça", disse Ho, para a AFP, citado pela Dow Jones. Ele pediu que a China acabe com a ditadura de um partido único, o Comunista. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
massacrePaz Celestial

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.