Hóspedes de hotéis na Índia são mantidos reféns por terroristas

Homens armados atacaram sete pontos de Mumbai; pelo menos 78 morreram e outros 200 ficaram feridos

Agências internacionais,

26 de novembro de 2008 | 19h16

Hóspedes dos dois hotéis de luxo que foram atacados por terroristas nesta quarta-feira, 26, em Mumbai, são mantidos reféns. Segundo a polícia indiana, pelo menos três oficiais graduados foram mortos nos ataques, que até agora mataram 78 e deixaram outros 200 feridos.   Veja também: Ataques terroristas na Índia deixam 78 mortos Chefe da polícia antiterrorista morre em atentados    Segundo informações divulgadas agência Dow Jones, os homens armados que atacaram sete pontos do centro financeiro indiano nesta quarta fizeram reféns nos hotéis Taj Mahal e Oberoi e estão entrincheirados nos prédios. Parlamentares europeus estão hospedados nos hotéis. Eles visitavam Mumbai antes da cúpula União Européia-Índia.   A agência indiana Press Trust of India informou que uma testemunha que conseguiu escapar do Hotel Oberoi viu homens vestidos com jeans e camisas negras perguntando quais hóspedes tinham passaportes americanos e britânicos e um oficial da polícia indiana confirmou que existem reféns nos hotéis.   A emissora CNN exibiu imagens de soldados indianos cercando os hotéis. Já no Hotel Taj Mahal quinze hóspedes estrangeiros são mantidos reféns, informou a televisão indiana. O motivo dos ataques ainda não está claro, mas Mumbai tem sido um alvo freqüente de atentados terroristas. Segundo as autoridades indianas, ataques são feitos por radicais da comunidade islâmica.   Um dos hóspedes do hotel Taj Mahal disse que o primeiro incidente começou por volta das 21h45 (hora local), quando foram ouvidas explosões no hotel. Os motoristas de táxi, que geralmente formam filas na frente na porta do estabelecimento, deixaram o local logo após os estrondos. Cerca de meia hora depois, houve mais duas explosões, do lado de fora do hotel.   Mais tarde, um representante do hotel telefonou para os quartos e pediu que todos permanecessem dentro dos quartos, com as luzes apagadas, até que a equipe de segurança do local autorizasse a saída.   Entre os demais incidentes divulgados pela mídia local, estavam uma explosão no hotel Trident e disparos no restaurante Leopold, estabelecimento bastante visitado por turistas. Houve outros incidentes em um hospital, em um cinema e em um terminal de trem. A agência indiana Press Trust informou que o grupo Deccan Mujahideen, pouco conhecido, enviou e-mails para veículos locais assumindo a autoria dos atentados.   (Matéria atualizada às 19h48)

Tudo o que sabemos sobre:
Índiaatentado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.