Dominique Faget/AFP
Dominique Faget/AFP

Hospital de Paris registra roubo de roupas médicas de proteção

Incidente ocorre em meio ao temor de que haja risco de terrorismo biológico ou químico na França após os atentados do dia 13

O Estado de S. Paulo

23 de novembro de 2015 | 11h33

PARIS - A polícia francesa está investigando o recente roubo de roupas médicas de proteção de um hospital em Paris, disse a AP-HP, administradora hospitalar pública da capital do país.

O motivo do roubo não está claro, mas ele acontece em meio ao temor de haver algum risco de terrorismo biológico ou químico na França, depois dos atentados de 13 de novembro, em Paris.

O desaparecimento de um "número limitado" de "roupas de proteção" do hospital Necker foi descoberto em 18 de novembro, disse a Assistance Publique-Hopitaux de Paris (AP-HP), em um comunicado, no sábado. O roubo foi registrado no dia seguinte na estação local de polícia, acrescentou.

Uma porta-voz da AP-HP, procurada no domingo, não quis fornecer mais detalhes sobre o tipo de equipamento que foi levado.

Depois dos ataques em Paris, o primeiro-ministro, Manuel Valls, disse que a França poderia correr o risco de ataques químicos ou biológicos na sua luta contra os militantes muçulmanos.

Reforçando a possível ameaça no domingo, o ministro da Defesa francês, Jean-Yves Le Drian, disse à rádio Europe 1 que "todas as medidas possíveis para evitar esse risco foram tomadas".

O hospital Necker é usado por pacientes que potencialmente contraíram o vírus Ebola, e, portanto, tem um grande estoque de roupas de proteção, acrescentou o comunicado da AP-HP.

O equipamento foi guardado em uma sala fechada com senha, mas acessível a um alto número de pessoas. O local é checado uma vez por semana e a segurança foi reforçada desde o roubo, disse o comunicado. /REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.