Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Hospital no Iêmen é atacado e pelo menos 4 morrem

Prédio pertence ao grupo Médicos Sem Fronteiras; episódio é o mais recente de uma série de incidentes fatais em instalações da organização humanitária no país

Agência Estado, Estadão Conteúdo

10 de janeiro de 2016 | 12h47

PARIS -  Um hospital do grupo Médicos Sem Fronteiras foi atingido por um ataque no norte do Iêmen neste domingo, 10, que matou pelo menos quatro pessoas e feriu dez, informou a entidade humanitária. O episódio é o mais recente de uma série de incidentes fatais em instalações da organização humanitária no país.

Os Médicos Sem Fronteiras (MSF) disseram que o hospital em Razah, distrito da província iemenita de Saada, foi atingido por volta das 9h20 (hora local). A explosão destruiu vários prédios no complexo e as mortes podem aumentar se houver pessoas entre os escombros, disse o grupo em comunicado.

O MSF disse que não conseguiu confirmar a origem do ataque, mas aviões estavam sobrevoando a área no momento. Uma coalizão liderada pela Arábia Saudita tem realizado ataques aéreos no Iêmen desde março passado, com o objetivo de atingir rebeldes houthis, apoiados politicamente pelo Irã. A província de Saada é um foco de concentração dos houthis.

A coalizão saudita ainda não havia comentado o assunto. Com a explosão deste domingo, é a terceira vez que uma instalação do MSF no Iêmen é alvo de um ataque desde o início do conflito no país. Em 27 de outubro, o grupo disse que ataques da coalizão saudita atingiram outro hospital na província de Saada, enquanto a Arábia Saudita negou responsabilidade no caso, dizendo que não havia aviões da coalizão no local atingido. O grupo informou anteriormente também que outro ataque em 3 de dezembro atingiu um posto de saúde na cidade de Taiz, no sul iemenita. As informações são da Dow Jones Newswires.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.