Hospital sul-africano assume culpa por tráfico de órgãos

Um hospital se declarou culpado em um caso de tráfico de órgãos, incluindo a remoção de rins de cinco menores entre 2001 e 2003, informou hoje um alto funcionário da África do Sul. O porta-voz da polícia Vishnu Naidoo disse que o Netcare KwaZulu, um hospital na província de KwaZulu-Natal, no leste do país, pagará o equivalente a US$ 1,1 milhão em multas.

AE, Agência Estado

10 de novembro de 2010 | 16h04

Ontem, a porta-voz da instituição médica Martina Nicholson disse que o governo retirou as acusações, logo após o hospital se declarar culpado por aceitar pagamentos por doações de rins e retirar os órgãos de menores de idade.

Na África do Sul existe uma grande demanda por transplantes de rins, mas há pequena quantidade disponível desses órgãos, que podem ser removidos de doadores vivos. O Netcare opera hospitais em todo o país, incluindo centros que estão entre os mais respeitados do continente africano. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.