Mike Blake/Reuters
Mike Blake/Reuters

Hotéis de Las Vegas aumentam medidas de segurança após ataque

Estabelecimentos da cidade passaram a revisar equipamentos e detectores de metais após homem entrar em hotel com 23 armas de fogo e centenas de munições

O Estado de S.Paulo

04 Outubro 2017 | 16h39

LAS VEGAS - Um grande número de hotéis de Las Vegas aumentou o nível de segurança no acesso às suas instalações após o massacre ocorrido na cidade no domingo passado em que morreram 59 pessoas e mais de 500 ficaram feridas

+ Quem são as vítimas do ataque em Las Vegas

+ Atirador usou câmeras para vigiar polícia antes de disparar por 9 minutos

David Straw, vice-presidente de comunicações da empresa Boyd Gaming, que opera sete hotéis e casinos em Las Vegas, disse que apesar de as medidas de segurança já serem "fortes", tem estudado como melhorá-las. "Estamos revisando nossas medidas de segurança e aumentando onde é necessário". 

Hotéis na avenida onde estão os principais casinos da cidade revisaram seus equipamentos e detectores de metais manuais. De acordo com autoridades, o autor do massacre, Stephen Paddock, entrou no hotel Mandalay Bay com 10 malas com pelo menos 23 armas de fogo em seu interior, entre elas rifles e centenas de munições. 

Parte da investigação busca determinar como nenhum funcionário da segurança do hotel nem o pessoal encarregado pela limpeza detectou nada no apartamento ocupado por Paddock. 

Da janela de seu quarto no 32º andar, o aposentado disparou contra a multidão de 22 mil pessoas em um intervalo de 9 minutos com rifles que havia modificado para que atirassem ainda mais rápido. 

'Pessoa de interesse', namorada de atirador chega a Las Vegas

Risco. Especialistas em hotelaria e turismo asseguram que impor revisões e pontos de segurança dentro dos hotéis pode prejudicar o negócio, já que os hóspedes buscam nas viagens um tempo de descanso. Importantes hotéis como o Venetian e o Palazzo contrataram equipes de segurança privada que controlam os movimentos ao redor do local. 

+ Massacre em Las Vegas era inevitável, afirmam especialistas em segurança

A empresa MGM Resorts, proprietária do Mandalay Bay e de outros 12 hotéis, disse que trabalha "de maneira consistente" com as forças locais e nacionais para garantir a segurança de clientes e trabalhadores. Apesar disso, não há detalhes sobre possíveis novas medidas que seus hotéis possam adotar depois dos fatos trágicos de domingo.

O presidente Donald Trump visitou a cidade nesta quarta-feira, 4, para um encontro com as vítimas do ataque a tiros. / EFE

Mais conteúdo sobre:
Stephen Paddock Donald Trump

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.