Hotéis são prejudicados com escassez de produtos básicos na Venezuela

Presidente de Federação diz que não há papel higiênico e sabonete suficientes para garantir uma boa hospedagem

O Estado de S. Paulo,

14 Maio 2014 | 15h14

CARACAS - O presidente da Federação de Hotéis da Venezuela (Fenahoven), Leudo González, afirmou que os estabelecimentos estão sofrendo com a falta de produtos básicos para garantir uma boa hospedagem, informou o jornal El Universal nesta quarta-feira, 14.

"Não somos fabricantes nem importadores de produtos mas utilizamos tudo que se pode consumir nos estabelecimentos. Temos problema com a falta de detergentes, sabonetes e até papel higiênico", disse González em uma entrevista para a rádio Unión Radio.

A declaração mostra que o setor hoteleiro também é afetado com a escassez de produtos na Venezuela. Para conseguir ingredientes usados em uma refeição básica, por exemplo, muitos venezuelanos acordam 4h e ficam na fila do supermercado.

"Nosso setor é formado por estabelecimentos, desde pequenas pousadas, até grandes hotéis. Temos em torno de 3 mil estabelecimentos em todo o país, nosso setor não está alheio ao que vive o resto dos setores econômicos do país", disse González, citado pelo El Universal.

Autoridades do governo de Nicolás Maduro alegam que empresários estão deliberadamente estocando produtos como parte de uma "guerra econômica" contra Maduro.

Segundo estatísticas do Banco Central da Venezuela (BCV) reveladas em abril pelo El Universal, em um ano, a taxa de desabastecimento no país se elevou em quase 10 pontos porcentuais. Em março de 2013, 20% dos produtos tinham desaparecido das prateleiras dos mercados; em março deste ano, a escassez chegou a 29,4%.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.