Hotel terá de indenizar cigana por negar-lhe um quarto

Um tribunal do leste da República Checa taxou em 50.000 coroas (US$ 1.950) a indenização devida a uma cigana que procurou um quarto num hotel e foi barrada. ?É uma decisão importante?, disse David Zabransky do Counseling Center for Citizenship, Civil and Human Rights, uma organização não governamental que ajudou a mulher.O centro tem ajudado dezenas de ciganos, que são recusados pelo atendimento de restaurantes e bares checos, mas ?este foi o primeiro caso de discriminação num hotel?, segundo Zabransky.A cigana levava um gravador fornecido pelo centro quando pediu acomodações para ela, seu parceiro e dois filhos no hotel de Metalurg, em Ostrava, a 350 quilômetros a leste de Praga, em julho do ano passado. De acordo com Zabransky, o hotel tinha fama de recusar ciganos.Disseram à mulher que não havia lugar e que ela teria de esperar 20 anos por um. Mas os funcionários do centro, que chegaram ao hotel logo depois de ela ser dispensada, encontraram quartos disponíveis.O tribunal regional de Ostrava determinou que os proprietários do hotel, além da indenização, pedissem desculpas à cigana pela discriminação. Eles recorrerão do veredicto.As organizações de direitos humanos tem acusado constantemente a República Checa de discriminação contra sua minoria de 250.000 ciganos da etnia Roma, que sofrem com altas taxas de desemprego e são freqüentemente vítimas de ataques étnicos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.