WADIA MOHAMMED/EFE
WADIA MOHAMMED/EFE

Houthis dispersam manifestantes e cercam praça em Sanaa

Milicianos perseguiram e atacaram os opositores, além de impedir os jornalistas presentes de registarem o incidente

O Estado de S. Paulo

26 de janeiro de 2015 | 08h22

SANAA - Milicianos do movimento xiita dos houthis atacaram nesta segunda-feira, 26, dezenas de manifestantes opositores que tentavam chegar até a praça Al-Taguir, em Sanaa.

Os houthis perseguiram e atacaram os manifestantes na rua Al-Dairi, que leva à praça, com pedras, paus, garrafas de água e sapatos. Os opositores buscaram proteção em locais comerciais e em becos da região, enquanto os jornalistas e fotógrafos também foram alvo dos ataques do grupo xiita.

A praça Al-Taguir foi o epicentro da revolução de 2011 contra o então presidente, Ali Abdullah Saleh, e se transformou agora no ponto de encontro dos opositores dos houthis.

Por isso, os milicianos impuseram hoje um cerco nos arredores da praça e se desdobraram no interior para evitar protestos. Vestidos de policiais, se concentram em postos instalados nos acessos à praça, em frente à porta principal da Universidade de Sanaa, para proibir a entrada de carros e inspecionar os transeuntes.

Estas medidas foram adotadas depois dos protestos opositores realizados nos últimos dias em Al-Taguir e após a convocação feita ontem à noite pelo Conselho dos Jovens da Revolução Pacífica.

Este grupo pediu grandes manifestações em Sanaa e no resto das províncias para protestar contra "os atos fascistas das milícias houthis".

Tais protestos vão ser diários, a partir de hoje, até "pôr fim ao golpe de Estado e libertar o Iêmen", segundo o Conselho, que pediu para não se dialogar com os houthis. / EFE

Tudo o que sabemos sobre:
IêmenSanaaHouthi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.