Houve luta em Kidal durante cerco aos insurgentes

Cenário: Roberto Godoy

O Estado de S.Paulo

31 de janeiro de 2013 | 02h01

A força combinada de cerca de mil soldados franceses e 200 malinenses, que tomou a cidade histórica de Timbuctu sem disparar um só tiro, não teve a mesma facilidade em Kidal, a terceira maior cidade do Mali. O aeroporto estava deserto quando as forças especiais da França desembarcaram. No entanto, na busca por líderes islâmicos radicais, o time foi hostilizado. Houve combate.

Em nota, o Alto Comando Conjunto informou que "foram localizados milicianos tuaregues do Movimento Nacional para a Libertação de Azawad e da dissidência Islã de Azawad", citando um nome, Algabass Ag Intalla, um homem de planejamento. A ocupação de Kidal foi efetivada por unidades do Mali. Os franceses, protegidos por veículos blindados, caças e helicópteros armados, permanecem no perímetro externo. A intenção da medida é descaracterizar uma ação de invasão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.