HRW exige medidas da União Africana contra regime de Mugabe

Entidade registrou intimidação, violência e manipulação por parte do partido do presidente a eleitores do país

EFE

29 de junho de 2008 | 06h36

A organização Human Rights Watch (HRW) pediu neste domingo aos estados reunidos na 11ª Cúpula de chefes de Estado da União Africana (UA), na localidade egípcia de Sharm el-Sheikh, que imponham sanções ao presidente do Zimbábue, Robert Mugabe. "A União Africana pode ajudar a terminar com a violência no Zimbábue se tomar as medidas mais severas possíveis contra o Governo de Mugabe", assegurou Georgette Gagnon, diretora da HRW para a África em comunicado emitido neste domingo. A ONG registrou vários incidentes de intimidação, violência e manipulação por parte do partido de Mugabe, a União Nacional Africana do Zimbábue-Frente Patriótica (Zanu-PF), antes, durante e depois do segundo turno das eleições presidenciais realizadas no dia 27 de junho. Moradores de vários bairros da capital disseram a HRW que partidários do Governo tinham ido de porta em porta para averiguar quem tinha votado e em quem tinha votado, batendo naqueles que não tinham ido às urnas ou cujo voto não tenha sido para Mugabe. A HRW também registrou casos de violência antes das eleições, nos bairros periféricos da capital, quando partidários de Mugabe bateram em supostos eleitores da oposição e lhes ameaçaram.

Tudo o que sabemos sobre:
Robert MugabeZimbábue

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.