Hu deixa sua marca na Constituição antes de partir

A Constituição do Partido Comunista chinês ganhou mais uma camada ideológica com a inclusão da Perspectiva Científica do Desenvolvimento criada por Hu Jintao entre os princípios que devem orientar a ação de seus integrantes.

PEQUIM, O Estado de S.Paulo

15 de novembro de 2012 | 02h07

Cada um dos líderes do país depois da Revolução de 1949 deixou sua "marca teórica" no texto, que convive ao lado do "marxismo-leninismo" e, juntos, supostamente definem o "socialismo com características chinesas".

Aclamada pelos delegados do partido que se reuniram até ontem em Pequim, a Perspectiva Científica do Desenvolvimento é um conceito que muitos chineses têm dificuldade de entender e explicar. Mas em tese ele prevê o crescimento sustentável e contempla questões como o meio ambiente e qualidade de vida.

Na cebola ideológica que é a Constituição do partido, a Perspectiva Científica do Desenvolvimento aparece em quinto lugar na sucessão de princípios que devem orientar a organização. Antes dela estão o marxismo-leninismo, o pensamento de Mao Tsé-tung, a teoria de Deng Xiaoping e o conceito dos Três Representantes elaborado por Jiang Zemin, antecessor de Hu Jintao.

A concepção dos Três Representantes também escapa a muitos chineses. Segundo ela, o partido deve sempre representar as forças produtivas avançadas, o desenvolvimento cultural e os interesses da maioria da população. Ainda não se sabe quais são os planos de Xi Jinping para seus prováveis dez anos no comando da China. Mas é certo que quando esse período chegar ao fim ele deixará sua própria camada de "contribuição teórica" à ideologia do partido. / C.T.

Tudo o que sabemos sobre:
Transição na China

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.