Hugo Chávez sanciona polêmica lei de imprensa

O presidente Hugo Chávez promulgou terça-feira a Lei de Responsabilidade Social em Rádio e Televisão, regulamentando a programação de rádio e televisão na Venezuela, que segundo a Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) e a oposição coloca em risco a liberdade de imprensa naquele país. Definida como "lei da mordaça" por seus críticos, ela impõe restrições de horários para as programações infantil e adulta e prevê multas milionárias pelo não cumprimento das novas regras.O diretor de liberdade de imprensa da SIP, Ricardo Trotti, afirmou que a entidade denunciará a nova regulamentação ante a Organização dos Estados Americanos (OEA). Segunda-feira a SIP realizou um fórum de emergência na capital venezuelana para analisar os impactos da lei. Totti declarou que a legislação estabelece a autocensura. Chávez subestimou as críticas da entidade dizendo: "A Sociedade Interamericana de Imprensa, sempre com o mesmo discurso: que este é um governo autoritário, que atropela... Com que moral estes lacaios do imperialismo criticam, se eles mesmos apoiaram ditaduras!". Deputados oposicionistas, minoritários no Legislativo, colocarm fitas negras na boca durante a leitura final da lei. Vários deles exibiram cartazes, entre os quais se lia: "Liberdade de imprensa QEPD" (que em paz descanse). A lei será publicada oficialmente nesta quarta-feira. Chávez advertiu que será ?inflexível no seu fiel complemento?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.