Humala e García empatam em debate no Peru

Os candidatos à Presidência do Peru, o ex-presidente Alan García, do Partido Aprista do Peru, e o nacionalista Ollanta Humala, do Partido União Pelo Peru, empataram no debate de domingo à noite na opinião de analistas políticos do país. A duas semanas das eleições, analistas previam a vitória de García nos 90 minutos de debate, por conta de sua experiência política. Mas o discurso apaixonado de Humala, de melhorar as condições sociais do Peru, também rendeu ao candidato um bom resultado."Queremos deixar o passado para trás, para construir uma nova divisão de poder que inclua todas as pessoas", disse Humala, que venceu o primeiro turno das eleições.A campanha tem sido caracterizada por trocas de acusações, e Humala, que vem conquistando o apoio das classes menos favorecidas com a promessa de redistribuir as riquezas, ressaltou a necessidade de dar mais poder aos peruanos sobre os recursos nacionais do país.Distribuição de riquezasEle insistiu que, se ganhar as eleições, uma nova constituição será redigida durante seu governo para garantir uma vida digna aos peruanos e lembrou que "sete milhões de pessoas vivem sem água e sem esgoto" no país.García, por sua vez, afirmou que o Peru não pode se dar ao luxo de afastar os investidores com uma política radical e nacionalista. Ele também pediu desculpas pelos erros cometidos durante seu último mandato, quando houve uma escalada da inflação e aumento do terrorismo.García prometeu trazer ao país "uma nova democracia social, que respeite as liberdades de expressão e de reunião, o equilíbrio de poderes, e impeça o autoritarismo."O vencedor do segundo turno deverá assumir o cargo no próximo dia 28 de julho, por um mandato de cinco anos. As últimas pesquisas de intenções de votos dão vantagem a García, mas 25% dos eleitores permanecem indecisos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.