Humala usa antiga Constituição para prestar juramento como presidente

Novo líder ignorou Carta assinada em 1993 pelo então presidente Alberto Fujimori; houve protestos

28 de julho de 2011 | 14h53

Ao lado do líder do Congresso peruano, Daniel Abugattás, Humala (dir.) presta juramento

 

LIMA - Vencedor das eleições realizadas em junho, Ollanta Humala prestou nesta quinta-feira, 28, juramento como novo presidente do Peru perante o líder do Congresso, Daniel Abugattás, em sessão solene do Parlamento.

 

Veja também:

linkHumala 'paz e amor' assume presidência hoje

linkEm Lima, Dilma vai tratar de crise dos países ricos

mais imagens GALERIA: Presidente Dilma no Peru

linkEmbaixador em Lima confirma morte de engenheiros

 

Humala tomou posse do cargo sem a presença de seu antecessor, Alan García, que entregou a faixa presidencial no Palácio de Governo ao chefe da casa militar ao invés de fazê-lo ao presidente do Congresso.

 

O novo governante prestou juramento pela Constituição de 1979, anterior à carta vigente, que foi assinada em 1993 pelo então presidente Alberto Fujimori, o que motivou os protestos de políticos do partido do ex-líder, agora preso.

 

Em seguida, Abugattás tomou o juramento dos vice-presidentes Marisol Espinoza e Omar Chehade, os quais também invocaram a Carta Magna de 1979.

 

Abugattás precisou pedir ordem ao público presente devido aos protestos dos deputados fujimoristas para que Humala e seus vice-presidentes jurassem pela atual Constituição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.