Human Rights Watch critica silêncio do Brasil

A prisão do líder de Leopoldo López não tem embasamento em provas e viola princípios básicos do devido processo legal, afirmou na quarta-feira, 19, em Washington, o diretor para as Américas da ONG Human Rights Watch, o advogado chileno José Miguel Vivanco. "A única causa provável para a detenção é o fato de ele ser um dirigente de oposição que convocou manifestações contra o governo, o que não é causa suficiente em uma democracia para privar alguém de sua liberdade", disse.

CENÁRIO: Cláudia Trevisan, correspondente em Washington,

20 de fevereiro de 2014 | 00h00

Vivanco afirmou que as restrições à atuação da imprensa na Venezuela também violam tratados internacionais, como o Pacto de Direitos Civis e Políticos e a Convenção Americana de Direitos Humanos. Ele criticou o silêncio do governo brasileiro e disse que ele é incompatível com a pretensão do país de desempenhar um papel de líder regional e global. "O Brasil conta com enorme peso, credibilidade e influência, especialmente na América do Sul, e deveria tomar iniciativas, idealmente públicas, que demonstrem seu compromisso com alguns valores jurídicos básicos", ponderou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.