Humorista egípcio será investigado por insultar presidente Mursi

Um humorista egípcio que fez piadas sobre o presidente Mohamed Mursi na televisão foi acusado de enfraquecer a posição do líder e será investigado por promotores, afirmou uma fonte ligada à Justiça nesta terça-feira.

Reuters

01 de janeiro de 2013 | 15h24

O caso de Bassem Youssef deve aumentar as preocupações quanto à liberdade de expressão na era pós Hosni Mubarak, especialmente no momento em que a nova constituição daquele país inclui disposições criticadas por ativistas de direitos humanos que, entre outros aspectos, proíbem insultos.

Youssef, que já teve seu próprio programa na televisão egípcia, ficou famoso após a revolta que tirou Mubarak do poder, em fevereiro de 2011, com um programa humorístico online que foi comparado ao Daily Show, de Jon Stewart.

O procurador-geral ordenou a investigação de uma queixa formal contra Youssef feita por um advogado islâmico. A queixa acusa o humorista de "insultar" Mursi, um islamista apoiado pela Irmandade Muçulmana, e de "minar sua posição".

Ativistas de direitos humanos dizem que este é o mais recente de uma série de casos de difamação que contaminam a liberdade de expressão ao passo que o Egito reformula suas instituições após Mubarak ter sido derrubado.

(Por Tom Perry)

Tudo o que sabemos sobre:
EGITOHUMORISTAINVESTIGACAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.