Hungria decide retirar tropas do Iraque

A Hungria retirará seus 300 soldados não-combatentes do Iraque em março, informa o novo primeiro-ministro húngaro, prejudicando o plano do presidente reeleito dos EUA, George W. Bush, de manter uma aliança internacional presente no país árabe. Na semana passada, o governo provisório do Iraque havia pedido que os húngaros permanecessem no país por mais um ano. Hoje, o premier Ferenc Gyurcsany disse que solicitaria ao Parlamento uma prorrogação do mandato das tropas, que vence em dezembro, mas por apenas quatro meses."Temos o dever de permanecer lá até as eleições (iraquianas, marcadas para janeiro). Ficar mais é uma impossibilidade", disse Gyurcsany. A Hungria, que se juntou à União Européia em maio, enviou tropas ao Iraque como parte da coalizão formada pelo governo americano para derrubar Saddam Hussein. Mas o governo se vê sob crescente pressão da opinião pública e da oposição, e pesquisas recentes mostram que 60% dos húngaros querem o retorno dos soldados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.