Identidade do novo líder do Hamas não será revelada

O grupo militante palestino Hamas decidiu não revelar a identidade de seu novo chefe na Faixa de Gaza, escolhido após o assassinato, ontem, em um ataque de mísseis israelenses, de Abdel Aziz Rantisi. Este, por sua vez, havia sido escolhido logo após o assassinato do fundador e líder espiritual do grupo, o xeque Ahmed Yassin, três semanas atrás. Centenas de milhares de palestinos encheram as ruas da Cidade de Gaza neste domingo, aos gritos de ?vingança, vingança?, e lançando flores sobre os caixões de Rantisi e dois de seus guarda-costas, mortos junto com ele. O Hamas prometeu, em mensagem no seu site na internet, que ?100 retaliações? vão atingir Israel. A mensagem acrescenta que o grupo declarou um estado de emergência na Cisjordânia e na Faixa de Gaza, que vai durar até que a vingança seja executada. ?Eles disseram que mataram Rantisi para enfraquecer o Hamas?, disse Ismail Haniyeh, um líder do grupo. ?Eles estão sonhando. Cada vez que um mártir cai, o Hamas sai fortalecido.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.