Identificação e entrega dos corpos de vítimas no México é agilizado

Governo local e autoridades mexicanas trabalham em conjunto com representantes diplomáticos

Efe

29 de agosto de 2010 | 03h15

CIDADE DO MÉXICO - As autoridades mexicanas federais e de Tamaulipas estabeleceram neste sábado mesas de trabalho com representantes diplomáticos de Brasil, El Salvador, Equador, Honduras e Guatemala para agilizar a identificação e a entrega dos corpos de 72 imigrantes assassinados.

Na mesa de trabalho central, coordenada pelo subsecretário de Relações Exteriores, Salvador Beltrán del Rio e o secretário do governo de Tamaulipas, Hugo Andrés Araujo, se destacou que este mecanismo tem como propósito de facilitar a entrega "dos corpos de seus compatriotas e trasladá-los para seus respectivos países", diz um comunicado.

As autoridades mexicanas informaram que as 31 vítimas do massacre de imigrantes no estado de Tamaulipas que conseguiram identificar eram as que tinham documentos, enquanto as outras 41 não tinham identificação.

Dos 31 imigrantes identificados, 14 são hondurenho, 12 salvadorenhos, quatro guatemaltecos e um brasileiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.