Identificado militar que matou 16

EUA divulgam nome de sargento autor de massacre contra civis afegãos no domingo

DENISE CHRISPIM MARIN, CORRESPONDENTE / WASHINGTON, O Estado de S.Paulo

17 de março de 2012 | 03h03

O sargento americano que matou 16 civis afegãos no domingo é Robert Bales, afirmou ontem um oficial do Exército americano. Segundo o advogado John Henry Browne, de Seattle, contratado pela família para defendê-lo, o militar viu a perna de um companheiro ser arrancada em uma explosão dias antes do ataque. Ele teria acumulado problemas físicos e mentais no Iraque antes de chegar ao Afeganistão.

"Estou confuso por que eles o teriam enviado para o Afeganistão. Não houve nem uma discussão sobre se ele não deveria ir", afirmou Browne. "Disseram para ele que não seria enviado de novo (ao front, depois da terceira passagem pelo Iraque). Sua família estava contando com isso. Penso que seria justo dizer que ele e sua família não estavam contentes com seu retorno (ao combate)", completou. Enquanto seu nome ainda era mantido em sigilo pelo Pentágono, o sargento foi deslocado ontem do Kuwait para a base militar de Leavenworth, no Estado de Kansas.

Browne indicou que trabalha na responsabilização da cadeia de comando do Exército americano por ter permitido o retorno do militar ao front, depois de suas três passagens pelo Iraque. Na última delas, ele sofrera um traumatismo craniano e perdera parte de um pé em consequência de um acidente no veículo em que estava.

Especialistas em psiquiatria relacionam a atitude do sargento, no domingo, ao quadro de Desordem de Stress Pós-Traumático. Trata-se de um dos males mais comuns entre os que passaram pela experiência de combate e uma das principais causas do elevado índice de suicídio entre soldados americanos no front e veteranos.

Como informou ao Estado um militar americano, o sargento era o principal coordenador das ações no front, dada sua maior experiência em combate do que a da maioria dos tenentes e capitães. Ele tanto aconselhava esses oficiais como atuava no terreno. Oficiais do Pentágono informaram ontem que o sargento estaria bêbado quando saiu da base rumo ao vilarejo afegão, onde atacou os residentes de três casas, entre os quais as nove crianças assassinadas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.