Cortesia de Marc Falkoff/AP
Cortesia de Marc Falkoff/AP

Identificado prisioneiro que morreu em Guantánamo

Prisioneiro foi identificado como Adnan Latif, um iemenita acusado de treinar com o Teleban

AE, Agência Estado

11 de setembro de 2012 | 18h26

SAN JUAN - O mais recente prisioneiro a morrer na base norte-americana de Guantánamo, em Cuba, foi identificado nesta terça-feira, 11,  como um iemenita chamado Adnan Latif, que estava na preso no local há mais de dez anos. Ele possuía um histórico de doenças mentais e recorreu contra o seu confinamento até a Suprema Corte dos Estados Unidos.

 

Veja também:

link Preso morre na base americana de Guantánamo

O governo dos EUA alega que Latif treinou com o Taleban no Afeganistão, mas não chegou a acusá-lo formalmente. Ele foi encontrado inconsciente em sua cela no sábado e declarado morto pouco depois. O Comando do Sul do Exército afirmou que a causa da morte está sendo investigado. O iemenita é o nono prisioneiro a perder a vida em Guantánamo.

O advogado de Latif, David Remes, afirmou que seu cliente era um prisioneiro desafiador, que recusava-se a permanecer naquela situação. "De qualquer forma que você olhar, ele morreu porque estava lá", disse Remes. "Se cometeu suicídio foi porque a detenção matou seu espírito. Se não foi suicídio, pode ter sido negligência médica, pode ter sido maus-tratos. Mas, no final das contas, ele morreu porque estava lá".

As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAGuantánamomorte

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.