Identificados autores de atentado no Marrocos

Eles eram jovens, estudantes em sua maioria, e vinham de um bairro humilde. O grupo de 14 militantes suicidas acusados de deixar um rastro de destruição e morte na maior cidade do Marrocos agiu sob ordens de uma "rede internacional de terrorismo", acusaram autoridades locais. As revelações vieram à tona quando investigadores marroquinos começaram a reunir evidências sobre as explosões da noite da última sexta-feira em cinco lugares diferentes de Casablanca. De acordo com novos números das autoridades locais, 29 pedestres e 12 homens-bomba morreram.Um suspeito de participação no atentado foi detido logo após a ação e outro foi preso no domingo, informou nesta terça-feira o ministro marroquino de Interior, Moustafa Sahel.Os interrogatórios dos suspeitos estão possibilitando "progressos significativos em termos de informação e confirmam as suspeitas de ligação com o terrorismo internacional", disse Sahel. Ele declarou que todos os suspeitos foram identificados, mas não entrou em detalhes. Antes da revisão dos números, as autoridades marroquinas diziam que 13 homens-bomba haviam morrido na ação.Fontes do alto escalão do governo local disseram que as suspeitas recaem sobre grupos extremistas islâmicos locais orientados do exterior, provavelmente pela rede Al-Qaeda, liderada pelo milionário saudita no exílio Osama bin Laden. Porém, alguns erros operacionais e a falta de sofisticação podem significar que os militantes não eram tão bem treinados quanto os homens de Bin Laden.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.