Idosos palestinos sepultados vivos durante uma semana

Enquanto ocorriam combates nas ruas desta cidade da Cisjordânia, um trator do Exército israelense entrou na cidade e demoliu um apartamento, fazendo-o ruir sobre outro apartamento no qual Abdallah e Shams Shobi moravam com sua numerosa família.Ao desabar, o prédio matou oito membros da família Shobi e deixou Abdallah, de 68 anos, e Shams, de 65, presos em uma sala sem luz e cheia de escombros no andar térreo e apenas com uma garrafa de água para os dois.Eles podiam movimentar-se dentro da sala, mas ficaram presos sem poder sair durante uma semana, em completa escuridão, sem ar fresco e sem saber o que havia acontecido com seus familiares. No meio da escuridão, frequentemente não conseguiam localizar a garrafa de água e, depois de quatro dias a água acabou.Na sexta-feira pela manhã, depois de terem ficado sepultados vivos durante uma semana, acharam que nunca mais conseguiriam sair dali vivos, disse Abdallah. "Não havia ar fresco, era difícil respirar e eu achei que iríamos morrer. Disse à minha mulher que se preparasse para morrer", disse ele, acrescentando que os dois começaram então a rezar.Depois, na sexta-feira à tarde, o casal ouviu batidas no teto. Eram os membros de uma equipe de resgate palestina que estavam retirando os escombros do prédio. A equipe recuperou corpos mortos de outros membros da familia do piso superior, antes de abrir um buraco no teto e resgatar Abdallah e Shams.Os trabalhadores da equipe de resgate beijaram ambos e o casal foi saudado com alegria por pessoas que os viram sair do meio de um monte de restos de concreto e poeira. Ambos estavam seriamente desidratados e a princípio tiveram dificuldade para respirar, e Shams tinha tambem alguns cortes na perna, disse o dr. Anan Masri, no hospital Al Watani, em Nablus.Os membros mortos da familia Shobi são: Omar Shobi, de 85 anos irmão mais velho de Abdallah, duas de suas filhas adultas, juntamente com um filho e uma nora, e os três filhos do casal, com idades entre 4 e 8 anos.Os militares israelenses disseram que não souberam do desmoronamento do conjunto de apartamentos da família Shobi, acrescentando que engenheiros do Exército estiveram presentes quando as casas foram demolidas para evitar qualquer estrago aos prédios vizinhos.Israel lançou sua invasão da Cisjordânia no dia 29 de março, depois de uma série de ataques-suicidas palestinos. O Exército empregou tratores blindados para derrubar casas onde poderiam estar escondidos militantes palestinos e também para abrir caminho em meio às estreitas ruas de Nablus e da vizinha Jenin para que os tanques e caminhões blindados de transporte de tropas pudessem passar.Grandes Acontecimentos InternacionaisESPECIAL ORIENTE MÉDIO

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.