Iêmen anuncia novo governo em meio a protestos

A TV estatal do Iêmen anunciou nesta sexta-feira o gabinete que irá comandar o país após a Organização das Nações Unidas (ONU) conseguir mediar um acordo com os rebeldes xiitas que tomaram o controle da capital, Sanaa, e aumentaram a instabilidade política no país.

Estadão Conteúdo

07 de novembro de 2014 | 20h53

Segundo o anúncio, o gabinete terá 37 membros, incluindo o primeiro ministro Khaled Bahah e outros 29 novos integrantes. Sete ministros do antigo governo completarão o grupo. Dentre os novos nomes estão o major-general Mahmoud al-Subaihi, com um histórico de combate à Al-Qaeda, o ministra de Relações Exteriores Abdullah al-Saaidi, e a ministra da Informação, Nadia al-Saqqaf.

A decisão sobre a composição do gabinete foi ao ar pouco após milhares de rebeldes Houthis irem às ruas protestar contra a tentativa dos Estados Unidos de impor sanções ao presidente deposto Ali Abdullah Saleh e líderes da etnia.

A capital Sanaa foi capturada em setembro pelos Houthis, que então exigiram que o presidente Abed

Rabbo Mansour Hadi indicasse um novo governo, reclamando que a composição do Executivo era muito próxima ao partido islâmico sunita, do qual são rivais.

Após semanas de violência e instabilidade política, a ONU conseguiu mediar um acordo para nomear Bahah como primeiro-ministro. O novo líder então foi incumbido da tarefa de indicar o restante do governo. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
IêmenEUAgovernoprotesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.