Iêmen anuncia prisão de suspeita de enviar explosivos aos EUA

Pacotes foram interceptados em Dubai e na Grã-Bretanha e eram endereçados a sinagogas em Chicago.

BBC Brasil, BBC

30 de outubro de 2010 | 19h06

Pacote interceptado no Iêmen continha fios e pó branco

A polícia do Iêmen anunciou a prisão de uma mulher suspeita de enviar aos Estados Unidos dois pacotes com explosivos, segundo a rede americana de televisão CNN.

A suspeita, que não teve a identidade revelada, teria sido detida em Sanaa, a capital iemenita.

Os dois pacotes, interceptados na sexta-feira por autoridades da Grã-Bretanha e de Dubai, iriam do Iêmen aos Estados Unidos. Eles foram encontrados em aviões de carga das empresas UPS e FedEx, desencadeando alertas nos Estados Unidos, na Grã-Bretanha e no Oriente Médio.

Descritos pelo presidente Barack Obama como uma "ameaça terrorista", os objetos eram endereçados a sinagogas em Chicago.

O presidente iemenita, Ali Abdullah Saleh, disse que os Estados Unidos e os Emirados Árabes deram informações que ajudaram a identificar a mulher e que o seu país continuaria a enfrentar a Al-Qaeda "em cooperação com os seus parceiros".

"Mas não queremos que ninguém interfira nos assuntos iemenitas caçando a Al-Qaeda", ele acrescentou.

Autoridades do Iêmen fecharam os escritórios locais da UPS e da FedEx, que já tinham paralisado todos os envios a partir do país e disseram que colaborariam com as investigações.

O correspondente da BBC no Cairo, Jon Leyne, informou que testemunhas também relataram que, em Sanaa, uma grande operação de segurança teve início, com policiais revistando veículos e checando identidades.

Marcas da Al-Qaeda

Segundo o primeiro-ministro britânico, David Cameron, o explosivo interceptado no aeroporto de East Midlands (centro da Inglaterra) foi projetado de modo a explodir na aeronave.

Mas ele disse que os investigadores ainda não sabiam quando o artefato deveria explodir.

Um segundo objeto que continha explosivos foi encontrado num avião de carga em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

A polícia de Dubai informou que o pacote continha o explosivo pentaeritritol (PETN) - o mesmo usado em uma tentativa de atentado em um avião que fazia o voo entre Amsterdã e Detroit no Natal de 2009 - e trazia as marcas registradas da organização terrorista Al-Qaeda.

De acordo com a polícia, o explosivo era conectado a um chip de telefone celular e estava escondido dentro de uma impressora.

Segundo a repórter da BBC em Dubai Katy Watson, as autoridades informaram ainda que o pacote pode ter sido preparado por profissionais.

Os alertas da sexta-feira ocorrem poucos meses após a descoberta de uma tentativa frustrada de explodir um carro-bomba na região de Times Square, em Nova York, em maio.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.