Iêmen deixa cérebro de atentado em liberdade

O Iêmen deixou em liberdade o homem apontado como cérebro do atentado a bomba de 2000 contra o destróier americano USS Cole, que matou 17 marinheiros. Jamal al-Badawi, que estava sendo procurado pelo FBI, havia sido condenado em 2004, mas logo depois fugiu da prisão. Há 15 dias, entregou-se às autoridades e prometeu lealdade ao presidente iemenita, que o deixou em liberdade. Os EUA condenaram a decisão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.