Iêmen diz que 500 militantes da Al Qaeda e 50 soldados foram mortos em ofensiva

O Exército do Iêmen disse nesta quinta-feira que 500 militantes da rede Al Qaeda foram mortos desde que os militares lançaram uma ofensiva contra o grupo em abril.

Reuters

05 de junho de 2014 | 10h03

Um total de 40 soldados também morreram em decorrência da campanha militar contra o grupo, informou o Exército na quinta-feira.

Os militares do Iêmen deram início a uma ofensiva no sul do país para tentar esmagar um grupo islamita que matou centenas de pessoas. Em resposta, os militantes intensificaram os ataques contra instalações do governo depois de terem sido expulsos de seus redutos na províncias de Shabwa e Abyan, no sul.

Eles fugiram para o deserto e as montanhas, de onde vêm lançando ataques ao Exército e alvos do governo.

(Reportagem de Mohammed Ghobari)

Tudo o que sabemos sobre:
IEMENALQAEDAMILITARES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.