Iêmen expulsa TV Al Jazeera por matérias 'falsas'

O Iêmen afirmou hoje que expulsou a rede de televisão do Catar Al Jazeera, que segundo o governo estava distribuindo "informações falsas". A administração argumentou que a rede de TV divulgou imagens de tortura em uma prisão iraquiana como se fossem registradas no Iêmen.

AE, Agência Estado

24 de março de 2011 | 12h46

A Al Jazeera tem realizado cobertura extensa das revoltas nos países árabes. O anúncio da expulsão da rede foi feito pelo Ministério de Informação iemenita. A pasta, em comunicado divulgado pela agência estatal Saba, acusou a rede de "falta de credibilidade, profissionalismo e imparcialidade" em sua cobertura dos protestos contra o regime.

Em comunicado, o canal não se referiu ao incidente da suposta gravação com origem trocada, mas condenou a expulsão. Segundo a Al Jazeera, seus escritórios em Sanaa foram "saqueados por 20 homens armados". "Nossa equipe no Iêmen tem brava e destacadamente acompanhado os eventos ali há vários anos", afirma nota da rede.

O Iêmen acusa a Al Jazeera de favorecer os opositores do regime. No sábado, ordenou que dois correspondentes do canal deixem o país, alegando que eles trabalhavam ilegalmente e não agiam com profissionalismo.

Na sexta-feira passada, partidários do presidente Ali Abdullah Saleh atacaram a tiros manifestantes pela democracia no país, matando 52 pessoas e gerando protestos internacionais. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
IêmenprotestosAl Jazeeraexpulsão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.