Iêmen persegue supostos terroristas

Quatro pessoas foram mortas em intensos tiroteios entre tribais e forças especiais iemenitas tentando capturar supostos partidários da rede terrorista de Osama bin Laden, disseram líderes de tribos e fontes familiares com a operação.Oficiais de segurança na província de Marib, 160 km a leste da capital Sanaa, confirmaram que forças especiais estavam na região de al-Halsun perseguindo pelo menos cinco homens procurados pelo governo.Os oficiais disseram que depois de duas horas de bombardeios contra a tribo Abida as forças especiais conseguiram entrar na área, mas não encontraram os suspeitos. Uma autoridade do Ministério do Interior disse num comunicado que as forças especiais estavam perseguindo vários homens suspeitos de pertencerem à Al-Qaeda. A autoridade, que não quis ser identificada, afirmou que várias pessoas acusadas de darem abrigo aos procurados foram presas. Ele não especificou quantas.O comunicado afirma que forças especiais estão promovendo uma grande operação de busca em Marib e na província adjacente de Shabwa. As forças especiais foram atacadas na província Marib e várias pessoas foram mortas e feridas na troca de tiros, acrescentou.Fontes de tribos disseram que o confronto ocorreu em e ao redor de vilas montanhosas onde tribais abriram fogo contra forças governamentais. Vários prédios usados pelos tribais como abrigo para atirarem contra tropas do governo foram destruídos, segundo as fontes.Outras fontes na região disseram que os confrontos ocorreram depois que a tribo recusou-se a entregar às autoridades pelo menos cinco homens suspeitos de pertencerem à rede terrorista Al-Qaeda.Segundo essas fontes, um dos homens estava na lista dos três suspeitos de liderarem a Al-Qaeda no Iemên entregue pelos Estados Unidos ao presidente iemenita, Ali Abdullah Saleh, durante a visita no mês passado a Washington. O pai de Bin Laden nasceu na região iemenita de Hadramout.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.