Iêmen reestrutura Exército e reduz poder de filho de ex-líder

O presidente do Iêmen, Abd-Rabbu Mansour Hadi, ordenou a reestruturação de algumas unidades militares na segunda-feira, com o objetivo de limitar os poderes de um filho do ex-líder Ali Abdullah Saleh e estabilizar o país, onde ainda paira o legado de Saleh.

MOHAMMED GHOBARI, Reuters

07 de agosto de 2012 | 15h32

A agência de notícias estatal Saba informou na noite de segunda-feira que Hadi emitiu decretos transferindo o comando de algumas unidades da Guarda Republicana para uma força recém-formada, chamada Forças Presidenciais de Proteção, sob sua autoridade.

Outras divisões da Guarda Republicana -- unidade de elite, liderada pelo general de brigada Ali Abdullah Saleh, filho do ex-presidente -- foram deixadas sob um diferente comando regional.

A anarquia no Iêmen tem preocupado a vizinha Arábia Saudita, principal exportador de petróleo do mundo, e os Estados Unidos, que veem cada vez mais o país árabe como uma linha de frente na guerra contra a Al Qaeda e suas afiliadas.

Os decretos do presidente também incorporaram algumas unidades do Exército lideradas pelo general dissidente Ali Mohsen al-Ahmar -- que se separaram das forças de Saleh depois do início dos protestos no ano passado - à nova força presidencial ou a um comando regional.

Ahmar elogiou os decretos, definindo-os como "decisões corajosas e patrióticas", segundo a agência Saba.

Hadi, que foi vice de Saleh, assumiu o poder em fevereiro após ser o candidato único à eleição presidencial, em um acordo selado pelos vizinhos do Iêmen no Golfo a fim de pôr fim à instabilidade política. A reestruturação das Forças Armadas era um elemento essencial no acordo.

Hadi prometera unificar o Exército, dividido entre aliados e inimigos de Saleh. Em abril, ele exonerou cerca de 20 comandantes do alto escalão, incluindo um meio-irmão de Saleh e outros parentes.

Os EUA e a Arábia Saudita apoiaram o acordo de transição do poder, preocupados com a expansão do braço regional da Al Qaeda em um país nas proximidades de importantes rotas de navegação para a exportação do petróleo.

Tudo o que sabemos sobre:
IEMENEXERCITOREESTRUTURA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.