Iêmen será o Afeganistão de Obama, ameaça clérigo da Al-Qaeda

Religioso afirmou que presidente sairá do Iraque e do Afeganistão moralmente derrotado

Associated Press,

19 de julho de 2010 | 17h36

CAIRO- Um clérigo nascido nos Estados Unidos e ligado a rede extremista Al-Qaeda advertiu nesta segunda-feira, 19, os americanos de que o presidente Barack Obama deixará soldados estancados no Iêmen como ocorre atualmente no Afeganistão.

 

Veja também:

linkHillary Clinton acredita que 'Bin Laden está no Paquistão'

linkAtaque no Iraque mata 45 milicianos usados pelos EUA contra a Al-Qaeda

especialEspecial: As franquias da Al-Qaeda

 

O áudio gravado em inglês foi divulgado em um site poucos dias depois do Departamento do Tesouro ter acrescentado o nome do religioso radical Anuar al-Awlaki a sua lista global de terroristas.

 

"Se o senhor George W. Bush é lembrado como o presidente que deixou os Estados Unidos enrolado com o Afeganistão e Iraque, parece que Obama quer ser lembrado com o presidente que deixou os Estados Unidos estancado no Iêmen", afirmou.

 

Por sua vez, o número dois da Al-Qaeda, Ayman al-Zawahri, prometeu que os soldados americanos sairão derrotados do Afeganistão e do Iraque.

 

O governo dos Estados Unidos está preocupado com ramos da Al-Qaeda que podem ter conseguido refúgio em regiões remotas, onde poderiam estar planejando novos ataques contra o país e outros do Ocidente.

 

Al-Zawahri elogiou grupos associados ao Taleban e à Al-Qaeda, ao dizer que "saem de uma vitória para outra" no Afeganistão e no Iraque. O Taleban "entrará triunfante em Cabul e Obama sairá com medo", afirmou o terrorista em uma mensagem de uma hora, a primeira desde maio.

 

"Obama, admita você ou não, os muçulmanos te derrotaram no Afeganistão e no Iraque e será derrotado na Palestina, Somália e no Magreb árabe", disse. "Não será derrotado militar ou economicamente, mas o que é mais importante, será derrotado moralmente".

 

A mensagem foi divulgada com legendas em árabe sobre fotos de al-Awlaki eNidal Hasan, um major do exército americano acusado por um tiroteio em Fort Hood. Também aparece uma fotografia de Umar Faruk Abdulmutalab, o jovem nigeriano que tentou explodir um voo com destino a Detroit no natal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.