Iêmen tem cessar-fogo após mais de 100 mortes

O membro de um comitê presidencial no Iêmen Yehia Mansour disse neste sábado que um cessar-fogo entrou em vigor entre o movimento salafita islâmico e os rebeldes no norte do país, após três dias de combates que deixaram mais de 100 pessoas mortas. O comitê é responsável pela negociação de um acordo na Província de Saada.

AE, Agência Estado

02 de novembro de 2013 | 15h36

O porta-voz do movimento salafita sunita Serour al-Wadie afirmou que pelo menos 100 de seus combatentes foram mortos nos confrontos que começaram na quarta-feira.

Indivíduos tribais próximos dos rebeldes do norte disseram que dezenas de Hawthis também foram mortos na luta. Eles falaram em condição de anonimato por medo de represálias. A animosidade é profunda entre salafitas e Hawthis, que lutam contra o governo. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Iêmenviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.