Igreja Anglicana denuncia uso indevido de obediência feminina no casamento

O voto de obediência ao marido, prestadopela mulher no casamento, tem sido utilizado indevidamente para justificar a violência doméstica, segundo um relatório da IgrejaAnglicana. Idéias retrógradas sobre a fé cristã contribuem para abusos, alerta o documento, que conta com o apoio de Rowan Williams, arcebispo de Canterbury e primaz da Igreja Anglicana, informa ojornal "The Times". A teologia mal aplicada, como a utilização da virgem Maria para "reforçar as pautas de passividade e obediência femininas", tem sidoutilizada às vezes para convencer as vítimas de abusos a perdoar osagressores e não reagir. O relatório critica a Igreja Anglicana por não denunciar os abusos e por intensificar, intencionalmente ou não, o sofrimento dasVítimas. O documento reconhece que, ao longo de séculos, "algumas suposições questionáveis sobre as relações entre os dois sexos, querefletiriam a vontade divina, influenciaram na interpretação bíblica da Igreja, seus ensinamentos morais e sua prática pastoral". "É um fato trágico que a má teologia, com uma compreensão deficiente da relação entre Deus e os seres humanos, pode ter o efeito, desejado ou não, de prejudicar as vítimas da violênciadoméstica e incentivar os abusos", critica o relatório. Um quarto de todos os casos de violência comunicados à polícia naGrã-Bretanha é de tipo doméstico, segundo "The Guardian". Em média duas mulheres são assassinadas por dia na Inglaterra e em Gales por seus companheiros ou ex-companheiros. A maioria das vítimas suporta até 35 agressões antes de pedirajuda à polícia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.