Yves Herman/Reuters
Yves Herman/Reuters

Igreja Católica da Bélgica admite abusos e promete punição

Na sexta, foi publicado relatório que aponta 475 casos de pedofilia cometidos por religiosos

Agência Estado e Associated Press

13 de setembro de 2010 | 08h50

BRUXELAS - A Igreja Católica na Bélgica admitiu nesta segunda-feira, 13, que membros da instituição cometeram abusos sexuais durante anos e prometeu ajudar as vítimas e castigar os culpados. O arcebispo belga Andre-Mutien Leonard disse que "um sentimento de raiva e impotência" se apoderou da igreja.

 

Três dias depois da publicação de um relatório de uma comissão da própria Igreja para investigar abusos de religiosos contra menores, Leonard disse que os casos de pedofilia "são erros do passado e devem ser vir para que sejam tiradas lições deles". As investigações da Igreja constataram 475 denúncias de abusos e 13 suicídios cometidos por conta desses casos.

 

"Queremos nos comprometer com as vítimas, disse Leonard. Segundo ele, a Igreja prevê a criação de um centro para a recuperação e reconciliação das vítimas e vai colaborar com a Justiça nos casos que devem ser punidos. De acordo com Leonard, a crise é tão intensa que é impossível encontrar uma solução fácil para o problema.

 

O arcebispo ainda pediu que, embora todos os casos conhecidos tenham ocorrido na década de 60, os religiosos que cometeram abusos ainda não descobertos que denunciem a si próprios.

 

Várias supostas vítimas de abusos de religiosos testemunharam ante a comissão depois que o bispo de Bruges, Roger Vangheluwe, renunicou após admitir ter abusado de menores antes e depois de chegar ao posto dentro da Igreja.

Tudo o que sabemos sobre:
BélgicaIgreja Católicaabusoscrise

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.