Igreja católica de Cuba anuncia libertação de quatro presos

Arcebispo de Havana disse que eles aceitaram a condição de ir para a Espanha

estadão.com.br,

11 de fevereiro de 2011 | 17h28

HAVANA - A Igreja Católica cubana informou nesta sexta-feira, 11, a libertação de quatro presos por delitos contra a segurança do Estado, que devem ir agora para a Espanha. Em comunicado, o Arcebispo de Havana disse que Osmel Aguilera Carpio, Juan Junior Padrón Sánchez, Rafael Jorrón García e Felipe Ramón Pino García aceitaram a proposta de se mudar para a Europa após sair da prisão.

 

Os três primeiros são acusados de crimes violentos e não estritamente políticos. As acusações sobre o quarto deles, porém, ainda são desconhecidas para os ativistas de direitos humanos.

 

Aguilera foi condenado em 1994 a 30 anos de prisão por sabotagem, Padron Sánchez foi preso em 1999 por pirataria - e condenado a 15 anos - e Jorrín García recebeu a sentença de 20 anos em 1997 por tentativa de fuga ilegal, posse de armas e pirataria. As informações são de um relatório da Comissão Cubana de Direitos Humanos e Reconciliação Nacional.

 

(Com agências internacionais)

Tudo o que sabemos sobre:
Cubapresos políticos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.