Igreja colombiana tentará libertar reféns da guerrilha

Uma comissão da Igreja Católica colombiana vai entrar nos próximos dias na Sierra Nevada de Santa Marta, norte da Colômbia, para tentar libertar os sete turistas estrangeiros que estão nas mãos da guerrilha do Exército de Libertação Nacional (ELN). "Vamos agir com rapidez", informou o arcebispo de Medellín, monsenhor Alberto Giraldo, que conseguiu acertar um acordo com líderes do ELN, presos, para dar início ao trabalho."Este seqüestro tem causado muita angústia às famílias e à comunidade internacional e recebemos um pedido de um irmão, um bispo europeu, para atuarmos com prontidão", acrescentou monsenhor Giraldo. Os jovens reféns, quatro israelenses, uma alemã, um espanhol e um britânico foram capturados pelo ELN dia 12 de setembro, enquanto visitavam a Cidade Perdida, um sítio arqueológico na Sierra Nevada. O oitavo refém, o inglês Mathew Scott, de 19 anos conseguiu fugir e já voltou para Londres.A comissão que vai se reunir com os seqüestradores é chefiada pelo sacerdote Dario Echeverri, secretário da Comissão de Conciliação da Igreja Católica, que tem trabalhado no processo de paz. A comissão, de acordo com monsenhor Giraldo, será composta apenas por representantes da Igreja. Não haverá ninguém do governo local, das famílias das vítimas nem dos governos de seus países.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.