Igreja deve ser um 'oásis de misericórdia', diz papa Francisco

O papa Francisco proclamou um ano especial de esforços pela Igreja Católica para ser mais misericordiosa e menos crítica.

Estadão Conteúdo

11 de abril de 2015 | 14h09

Na Basílica de São Pedro ontem à noite, ele ouviu enquanto um prelado do Vaticano lia excertos de uma bula papal, ou decreto, em que Francis proclamou um "extraordinário jubileu de misericórdia", Ano Santo.

O ano começa em 8 de dezembro, com o papa Francisco abrindo a normalmente fechada Porta Santa na parte de trás da Basílica, e termina em 20 de novembro de 2016.

O papa Francisco defende que a Igreja fale de Deus "de uma forma mais acessível", e evite a mentalidade de "fortaleza" porque sua credibilidade depende mais de misericórdia e menos de severidade.

Ele anunciou que nas catedrais em todo o mundo uma especial "porta da misericórdia" ficará aberta durante todo o Ano Santo, para que as igrejas se tornem "um oásis de misericórdia". Fonte: Associated Press

Tudo o que sabemos sobre:
VaticanoPapa Francisco

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.