Igreja disposta a dialogar com a guerrilha colombiana

A Igreja Católica acolheu positivamente nesta sexta-feira as declarações do comandante guerrilheiro Raúl Reyes, que afirmou que as Farc aceitariam conversar com um representante eclesiástico para tratar de um acordo de intercâmbio humanitário. "Creio que isto significa abrir a porta para um diálogo com mais facilidade", disse o vice-presidente da Conferência Episcopal, monsenhor Luis Augusto Castro, à rádio Caracol.Castro e o padre Darío Echeverrí fazem parte de uma comissão facilitadora designada pelo governo do presidente Alvaro Uribe para mediar a libertação de pessoas seqüestradas pelas Farc, em troca da libertação de rebeldes. Os dois representantes da Igreja afirmaram estar dispostos a reunir-se o quanto antes com os insurgentes após a manifestação de Reyes, que consideraram "muito positiva".Reyes, por sua vez, falando ao jornal El Comercio, de Quito, disse que será "bem-vindo o representante que quiser conversar conosco". As Farc buscam promover uma troca do que chama de "prisioneiros de guerra" com o governo, que, segundo propõem, contemplaria a libertação de cerca de 20 dirigentes políticos, 45 militares e três cidadãos americanos em troca de Bogotá colocar em liberdade centenas de guerrilheiros presos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.