Stringer/ Reuters
Stringer/ Reuters

Igreja entra em colapso na Nigéria e deixa ao menos 160 mortos

Centenas de pessoas se encontravam na igreja, que ainda estava sob construção, para presenciar a ordenação de Akan Weeks como bispo

Agência Estado, Estadão Conteúdo

11 Dezembro 2016 | 15h10

A estrutura de metal que segurava o teto de uma igreja no sul da Nigéria entrou em colapso durante um movimentado evento na noite do sábado, deixando ao menos 160 mortos e inúmeros feridos, afirmou o diretor do hospital da Universidade de Uyo, Etete Peters.

Centenas de pessoas se encontravam na igreja, que ainda estava sob construção, para presenciar a ordenação de Akan Weeks como bispo. Entre elas, estava o governador do Estado de Akwa Ibom, Udom Emmanuel. Ambos, no entanto, escaparam sem ferimentos.

"Havia corpos presos debaixo de escombros por toda parte, sangue por toda parte", disse Ukeme Eyibio, analista de computação. Ele havia estacionado seu carro do lado de fora do complexo para fazer uma ligação, quando ouviu uma explosão. Ele achou que fosse uma bomba, mas viu que a igreja tinha desaparecido.

Ele e outras três pessoas conseguiram retirar dez feridos da área, mas não conseguiram entrar dentro da construção principal, uma vez que os operário de construção que ali estavam alertaram para o risco de desabamento.

Jornalistas que foram para o local da tragédia afirmam que membros da igreja tentam prevenir que eles a documentem, tentando apreender as câmeras ou os forçando a deixar a área.

Em 2014, 116 pessoas morreram quando um centro comunal de uma da Igreja Sinagoga de Todas as Nações entrou em colapso em Lagos, a maior cidade do país. A maior parte das vítimas era da África do Sul, que estavam lá para ver o influente fundador do culto, T. B. Joshua. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Nigéria África do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.